quinta-feira, novembro 16, 2006

Uma canção a cada dia


Para não parecer que eu estava livrando a cara de quem gosta de se esconder atrás de desculpas esfarrapadas para praticar atos ilícitos ( já que não votei em Lula...) ou para justificar a própria preguiça ( lembrando que não votei em Lula ), dizendo que o acesso à cultura é impossibilitado devido ao custo financeiro - uma impressão que pode ter ficado da leitura do post anterior sobre o comentário do Maurício Noriega sobre as carteirinhas de estudante – devo dizer:
Isso não é desculpa!
Quem quer e procura, encontra, sim, várias opções baratas na área cultural para usufruir.
Dou um exemplo recente e pessoal.
Em um dia desses, sem ter nada para fazer, resolvi dar uma vasculhada nos sebos da região da Praça da Sé. Foi coisa rápida, não demorou nem uma hora, deu pra ir e voltar com a mesma passagem do Bilhete Único.
Visitei o Sebo Liberdade e o Sebo do Messias.
Pois bem, nesse curto espaço de tempo, comprei 8 discos ( em vinil ) e um livro.
O livro é o A Nova Classe, do Milovan Djilas.
Entre os discos, achei Django Reinhadt, Musikantiga, Stravinsky ( A Sagração da Primavera ), Bill Evans, Bach e o nosso amigo aí de cima, Art Tatum.
Qual foi a fortuna que gastei?
R$ 21,00. Sim, vinte e um reais por oito discos e um livro. No Sebo Liberdade, qualquer vinil por dois reais, no Messias, paguei um e cinqüenta por cada um dos dois que comprei lá. O livro, comprado no Messias, custou oito reais.
Ah! O sujeito que me atendeu no Liberdade ainda me deu um desconto de dois reais.
Dá pra fazer uma dessas a cada dois meses, qualquer que seja o seu salário, não é?
Bem, sobre o ‘convidado’ de hoje no Uma canção... deixo as palavras por conta da Downbeat.
A canção que ele toca no vídeo é Humouresque, e é uma releitura de uma peça do Dvorak, se não me engano.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home